MP-AL investiga falta de documentos públicos na prefeitura de Cajueiro

Prefeito Palmery diz que gestão passada não repassou documentação. Cidade está em situação de emergência administrativa desde 13 de janeiro.

O Ministério Público de Alagoas (MP-AL) começou a investigar a ausência de documentos na prefeitura de Cajueiro. Segundo a portaria publicada nesta sexta-feira (27), no Diário Oficial do Estado (DOE), a denúncia foi feita pelo novo prefeito do município, Antonio Palmery Neto, o Palmery (PMDB).

A reportagem do G1 tentou contato por telefone no a ex-prefeita Lucila Toledo, mas as ligações não foram atendidas.

No dia 13 de janeiro deste ano em publicação no DOE, a prefeitura de Cajueiro declarou estado de emergência administrativa. Na publicação, o texto dizia que a gestão anterior deixou o município em descaso administrativo e que os órgãos públicos estão em condições precárias.

O procedimento preparatório de investigação é assinado pela promotora de Justiça Maria Luísa Maia Santos. Ela informa que a comissão de transição de governo formada pela ex-prefeita da cidade, Lucila Toledo (PSDB), apresentou o relatório incompleto dos documentos com os fatos orçamentários, financeiros, fiscais, patrimoniais e sobre o exercício financeiro da prefeitura ao ministério.

Ainda de acordo com a publicação, foi determinado que a Comissão de Transição de governo apresente com urgência a documentação exigida.

Várias prefeituras têm declaro estado de emergência administrativa nos últimos dias, a última foi a de Olho D’Água do Casado, que também decretou calamidade pela falta de documentação.

g1

27/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *