Vigilância Sanitária alerta para mistura de energético com bebida alcoólica

large-2

O consumo de compostos líquidos prontos, popularmente conhecidos como energéticos, misturados a bebidas alcoólicas – mais especificamente os destilados – virou moda entre os jovens. A combinação é maior em dias de festa, como no Carnaval, e funcionam como uma espécie de combustível. No entanto, o diretor estadual de Vigilância Sanitária, Paulo Bezerra, alerta que essa combinação pode ser fatal.

Segundo Bezerra, os jovens buscam a mistura para adiar o sono, garantir mais tempo na balada e disfarçar o gosto do álcool. Porém, a combinação de energético com bebida alcoólica apresenta como resultado a taquicardia e o risco iminente de morte. “A mistura contém substâncias que aumentam o ritmo cardíaco e causam euforia, além de potencializar o álcool e todos os seus efeitos”, esclareceu.

As duas substâncias são a taurina e a cafeína. A intoxicação por uma delas é manifestada pela ansiedade, insônia, desconforto no estômago, tremores, taquicardia, agitação e até raros casos de morte. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não é recomendado o consumo de energético com bebida alcoólica. Além disso, crianças, gestantes, nutrizes, idosos e portadores de enfermidades devem consultar o médico antes de consumir o produto.

Energeticos no carnaval foto Carla Cleto -2- site

“O risco maior está na dose”, enfatiza Bezerra. Isso porque mesmo os compostos líquidos prontos para consumo serem liberados pela Anvisa, o problema está no fator cumulativo. O diretor estadual de Vigilância Sanitária reforça que, por mais que o percentual de cafeína e taurina esteja de acordo com o recomendado pela Anvisa, a questão está na quantidade de bebida ingerida, pois, muitas vezes, as pessoas consomem mais de uma lata de energético.

Cansaço em dobro

Os energéticos deixam o corpo mais acelerado, mas depois o cansaço vem em dobro. Quando passa o efeito, a pessoa fica cansada duas vezes mais. Assim, no primeiro momento a pessoa fica agitada por algumas horas e não dorme, depois, dorme demais para compensar o tempo perdido. E assim como os estimulantes químicos, eles deixam de fazer efeito se tiverem o uso for contínuo e a pessoa passa a ingerir quantidades cada vez maiores para obter o mesmo resultado. São ainda substâncias que alteram o funcionamento de nosso organismo de forma brusca, por isso devem ser ingeridas com moderação e certa cautela.

Agência Alagoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *